março 08, 2006

34 comentários:

morfeu disse...

...direi que todos os segundos
de todas as poéticas
essa impossíveis horas
existe
existimos
nesta tragédia não definitiva
mas definida
pelos quereres do momento
pela nota orquestrada
que de fundo
amacia o sentir
para tentarmos
o ser diferente
de massa mesma
que nasceu
nasceu...

Um abraço do Morfeu

Miguel disse...

"Atravessou a história foi queimada viva, acusada desceu ao fundo dos infernos e já não teme nada retorna inteira, maior, mais larga absolutamente poderosa."

Bjks da Matilde

Titas disse...

Sublime!

Misty disse...

Lindo.

Menina_marota disse...

Ah... o mistério de ser Mulher... aqui em toda a sua expressão!
Adorei.

Um abraço carinhoso e desculpa a ausência...

Poesia Portuguesa disse...

Na serenidade, na simplicidade deste Poema, está uma beleza impressa.
Adorei!

Um abraço carinhoso ;)

Luís Oliveira disse...

És linda, miúda.

francis disse...

A magia das palavras, cordenadas e colocadas no lugar certo :-)
Bom f-d-s!

menina graça disse...

A força de ser mulher dita por ti, em palavras belíssimas! :)
Um beijo, Raquel.

Cinda disse...

Belíssimo, Raquel!

Um grande beijinho, maninha linda :)

alfinete de peito disse...

Profundo e perfeito com a musica do piano de fundo...que bom fim de tarde.

Temos dito.

Tão só, um pai disse...

... porque será que todos os dias são o dia da mulher? Só as mulheres é que não notam.

Contam-se pelos dedos os homens que, no seu dia a dia, não pensam numa mulher. Bem as hajam.

Kalinka disse...

Olá Raquel
O que tu escreveste é lindo demais.
Parabéns.
Mostraste a força de ser mulher, em poucas palavras. Maravilhoso.

Lendo os comentários, achei graça ao...tão só, um pai - precisamente pelas palavras certas que ele escreveu, ainda não tinha lido nada igual, mas é a pura verdade!
Para quando uma visita tua ao meu kalinka? Lá te espero. Beijokas.

Zecatelhado disse...

Gostei!

Um @bração do
Zecatelhado

Júlia Coutinho disse...

Obrigada, amiga, por partilhares connosco as tuas palavras tão certeiras e sensíveis. Gostei muito!

Folha de Chá disse...

Muitos parabéns, todos os dias, a todas as Mulheres. (Daquelas verdadeiras).

zé das loas disse...

Gostei muito do poema e da homenagem. O verso "data mendiga" é um achado portentoso...

Beijos

Anna^ disse...

Cheio de talento...como sempre!
Obrigado! :)

bjokas ":o)

Thiago Forrest Gump disse...

E eu completo Raquel: ainda bem que existem! :)

AS disse...

Querida Raquel, Este belissimo poema é um Hino à esparança!...
Gostei dele, por isso, duas vezes!...

Beijossss

AS disse...

Errata: Esperança ( sorry )

Friedrich disse...

É com esta força que se criam raízes na profundeza da alma, mesmo que alguém diga que são meras palavras é delas que sentimos o nosso existir permanente, exprimindo a poesia do nosso sentir com simples olhares sem compaixão? Tu escreves sempre lindamente Raquel, mas adoro a tua poesia.


Quanto às tuas manias faço delas minhas também, excepto, alguns apartes, como carta de condução, sair à rua sem pintar-me (só se for a manta), além de que detesto o catálogo da La Redout e similares? De resto direi que somos clones nos gostos. A sensibilidade e a imaginação andam de mãos dadas. Mas a razão deixa transparecer a melancolia quando se está só, sofre-se em silêncio absoluto! Devo arriscar que deverás ser do signo peixes ou caranguejo, estou mais inclinado para este último. Certo ou errado?

É o dois em um?
Bj

Wakewinha disse...

É a nossa polivalência e a nossa flexibilidade. Somos isso tudo, e com uma capacidade de desdobramento capaz de nos tornar em muito mais do que apenas isso! ;)
Um beijinho grande*

Adryka disse...

Lindo Raquel adorei. Beijinhos

trolha disse...

Esta musica foi certeira, muitos dizem que as composições de Micheal Nyman são monótonas e repetitivas, ao ler este poema, e se me abstrair do sentido das palavras, na realidade estes poema espelha bem a sonoridade escolhida. Para mim não existem combinações perfeitas mas esta aqui assenta como uma luva, parabéns à produção.

charlie disse...

E é no toque da pele que se sente a vida a renovar-se a cada instante.
Somos sempre diferentes, a cada segundo que passa, já não somos o que fomos.
Viver é ir mudando imperceptivelmente e descobrir-nos quando olhamos para trás como outros para quem olhamos por vezes com estranheza.

Kalinka disse...

Passei para deixar um beijinho e dizer que gosto da sonosridade que escolheste. Tens bom gosto.
Até sempre.

JMTeles da Silva disse...

Não apareceste a servir o café da manhã. Por vezes esqueço-me de que ESCREVES como, por exemplo, no texto deste post.

Nilson Barcelli disse...

Lindo o que escreves Raquel.
Pouco... e bem.
Beijinhos e bom fim-de-semana.

Teresa David disse...

Quem escreve assim não pode ser frágil. Não creio que o sejas minimamente, quanto mto sensível, mas a sensibilidade nada tem a ver com a fragilidade. É lindo o teu poema.
Beijos
Teresa David

Su disse...

como é sempre bonito tudo o que fazes...gostei..muito

jocas maradas

O Micróbio II disse...

Segundo a segundo se escrevem coisas magníficas... :)

Menina_marota disse...

Passei para ler-te e deixar um abraço carinhoso de boa semana ;)

mgbon disse...

o enigma continua...não há quem entenda que a verdade se renova constantemente. o que hoje é...amanhã talvez não seja. o eterno conflito entre o ser e a razão, entre o imaginário e a realidade. é assim a mulher.