setembro 16, 2005

As nossas
Crianças
e a Internet

Tenho vindo a sintonizar-me com uma realidade que nos media apenas surge em notícias que tenham o impacto do "sucedeu dramaticamente sem que se imaginasse". Ou seja, "debate-se" o assunto quando a criança já desapareceu.

Como adulta, sei exactamente o que procuro ou me interessa quando navego pelas águas aparentemente nítidas da Web. E sei os contactos que desejo, ou não, ter em programas de conversação - como o Messenger, por exemplo, um dos mais banais.
Os pais têm uma noção muito vaga da face negativa - que pode ultrapassar o aspecto positivo - que a novidade trará aos filhos, ainda que, alguns adiem instintivamente apresentar-lhes este novo mundo.
As escolas, assim que se inicia o 5º ano, exigem trabalho de pesquisa que também integre a Internet como ferramenta. A intenção é excelente, mas raramente se encontra inserida num projecto sólido que ensine as crianças a serem cuidadosas. E estas navegam a sério e com desembaraço em pouco tempo. E navegam facilmente para longe da costa. E muitos pais não estão cientes ou até preparados para se aperceberem disso. Alguns porque pertencem a gerações que se mantiveram afastadas da informática, outros porque olham para os filhos como crianças que numa banca de jornais só espreitarão as revistas infantis.
E a Internet é uma imensa banca de jornais e revistas com todo tipo de temas à disposição. E infelizmente, muitas das imagens irão ser nocivas, além da facilidade de contacto com seres que pretendem algo mais dos nossos filhos, se não nos mantivermos atentos.


Por Raquel Vasconcelos
in Jornal
O Progresso de Gondomar

23 comentários:

Anna^ disse...

Tema tão complexo quanto complicado este, Raquel.
Ao abrir as portas a novas experiências,os pais têm por obrigação de estar atentos e vigilantes.Não é "cortar" esta experiência da internet mas sim ,lado a lado explorarem esse mundo e aprender em conjunto...mas infelizmente hj em dia o tempo continua "curto" para "vivermos" com os nossos filhos...e muitas vezes a frase"Não tenho tempo"acaba de uma forma dramática e com "todo o tempo do mundo"...mas já tarde demais!
Gostei muito desta abordagem...gostei muito da música!Parabéns :)

bjokas e bom fds ":o)

JMTeles da Silva disse...

Tenho a experiência com o meu filho mais novo, agora com 12, que aos 8 ou 9 já lhe saltavam para o "colo" (entenda-se monitor) gajas em pelo e convites para jogar roleta e blackjack. Ainda hoje recebo essas visitas e não sei como me livrar delas.
Bjokas.

mfc disse...

Isto é uma estrada larga, com tantos perigos como andar-se na rua!
Não é diferente e há sempre que estar alerta!

Angela disse...

Parental control e afins, e acompanhamento qb. Durante, antes e depois da navegação. Pode ser que assim se diminuam os malefícios. (Mas não esquecer que, bem avisadas, as crianças poderão recolher muitos benefícios da www).

Ricardo Leal disse...

Triste, mas é a realidade...

agua_quente disse...

É o problema do equilíbrio entre a liberdade e o acompanhamento necessário. Um meio que tem tanta coisa positiva pode também ser extremamente negativo para quem não está atanto. Bom tema, Raquel. Beijos

Anónimo disse...

Se fico anónimo, é porque tenho razões para isso.
Há um AB©ity a estrear(pelo que tenho lido) e um site bem recente, diz-se de um dos mesmos autores.
Só para profissionais.

http://www.vizzlab.com/

Abraços, amiga.
Que as letrinhas te sejam leves

Nilson Barcelli disse...

Os riscos da net não são sensivelmente superiores ou inferiores aos da vida real.
Só que são diferentes.
As crianças arranjam rapidamente auto-defesas, mas alguma orientação é importante.
Já conversei comcrianças de 11/12 anos da net, dei-lhes alguns conselhos, mas verifiquei que elas já controlavam os riscos muito bem
Beijinhos.

Daniel Aladiah disse...

Querida Raquel
O que dizes é verdade, mas o que importa é como evitar os males da internet. Não há solução. No dia em que se controlar a liberdade de relacionamento na net, então morrerá a sua principal virtualidade. Felizmente, já há algum controlo sobre sites, nomeadamente de conteúdo pornográfico. Contudo, dependerá sempre dos apresentadores de conteúdos o principal auto-controlo, que evite males maiores.
Os pais têm que estar atentos, assim como os professores, mas sempre haverá quem consiga fugir a essa malha, como na sociedade real.
Um beijo
Daniel

Å®t_Øf_£övë disse...

Raquel,
Vou lá ler o artigo.
Bom fds.
Bjs.

Menina_marota disse...

Li o Artigo. Concordo com ele.
Mas, creio que muita gente "lá fora" não está ainda preparada para descobrir a net e tudo aquilo que está por detrás dele... o bom e o mau...
Um abraço e bom fim de semana :)

Wakewinha disse...

A minha tese de final de curso foi sobre esta temática, e apesar de meses à volta da questão, devo dizer-te que não tirei nenhuma conclusão taxativa: ora a internet é muito boa, ora é a pior companhia para as nossas crianças! Li-te com atenção, mas continuo a achar que é tudo muito subjectivo... =S

AS disse...

Querida Raquel,
Um tema que obriga a uma grande reflexão. A janela do mundo está cada vez mais aberta, mas precisamos de estar atentos a tudo que por ela entra...
O tua crónica é excelente!... Parabéns.
Um beijo grande

Adryka disse...

Pois e o problema é que uns influenciam os outros, onde vai para não sei. Beijinhos amiga

Menina_marota disse...

Passei para ler-te e desejar uma boa semana.

Um abraço ;)

Tão só, um pai disse...

Todos os pais se defrontam com perguntas sem respostas. Tentamos adormecer com mil "E se ...?" sobre os nossos mais do que tudo.

Mas não temos respostas, porque elas dependem da idade deles, do que são e da nossa incapacidade em estarmos ao lado deles a todo o momento, mesmo quando estamos em casa.

Quando os computadores começam a estar no seu quarto e tudo pode acontecer enquanto dorimos, só nos resta abordar o assunto de forma preventiva, dando-lhes a conhecer esta face perversa do mundo, indicar-lhes como proceder caso sejam alvo de uma abordagem perigosa e que nos chamem à mínima dúvida.

sonhos sonhados disse...

Keridos Amigos

muitos disseram que gostariam de jogar comigo...
................................................então vamos a isso!
...............................................................................

proponho um novo jogo.

cada um dos jogadores,
deve no prazo de três, quatro, cinco dias...
...se possível...
..............claro!
escrever uma curta lista...
...na qual constarão três vocábulos.
(poderá ser nos meus comentários,
para me ser mais fácil realizar
a lista final).

juntá-los-ei
...e apresentarei
uma lista
com todos os vocábulos escolhidos.

Com eles...
vamos escrever um texto!

em prosa, poesia, drama... ou até imagem simbólica
(sendo obrigatória a utilização de todas as palavras/símbolos obtidos no ?bingo?.
caso surjam palavras repetidas podemos utilizá-las... apenas uma vez).

Depois...
cada um apresentará no seu blogue um texto.

Não haverá prémio!
................que pena!

Contudo...
penso que irão surgir textos muito engraçados...
uma vez que os vocábulos...
serão ?novidades?.

Que dizem?
Alinham?
..............................

Então... mãos à obra.
Beijux létinha.

Nilson Barcelli disse...

Alô Raquel.
Não te tenho visto. Só melros...
Beijinhos

GNM disse...

Gostei de conhecer o teu blog!
Todos o posts estão muito bons.
A musica é excelente.

Continua a sorrir...

Anónimo disse...

A realidade é que na verdade, a maioria dos pais acaba por se esquecer dos filhos, não por laxismo ou ignorância, mas em nome de uma liberdade que afinal oprime.
Quanto à sociedade, é bom nem lembrar?


blogquisto

gato_escaldado disse...

muito bem, Raquel. um forte aplauso. beijos

Friedrich disse...

Concordo perfeitamente com este teu texto e o assunto é deveras preocupante, no entendo, e enquanto as escolas não tiverem os meios aos novos métodos de ensino afim de lhes dar outra preparação, seria necessário e urgente os pais tomarem consciência e estarem mais atentos, inclusive alguns deles, irem estudar também, para assim estarem mais preparados a vigiar os seus filhos. O progresso é sempre doloroso para aqueles que adormeceram na formatura... É a tal faca de dois gumes.

Beijos

TMara disse...

esqueceste-tedenomear os predadores/as....E há muitos/as.
Bj