agosto 19, 2005



Vieste

num tempo em que me afogava em vagas de indiferença.
Estendeste a tua mão.
Estava de tal forma entorpecida que mal a sentia.
Escutei o som da tua voz longínqua que se foi tornando ensurdecedora
e me encheu os pulmões de ar, me aqueceu o sangue e despertou.
Violentamente.
E a vida metamorfoseou-se num imenso carrossel
de voltas imprevisíveis.
Deixei de sentir medo.


Depois foste embora...
Recordo-te para que não te transformes num fantasma sem nome.
Para não perder a convicção no potencial da paixão,
na consistência do amor.
E observo a rua. E a sua realidade barulhenta.
E sei que sou uma sonhadora.
E revivo aqueles momentos como
se fossem os primeiros e os últimos.

31 comentários:

Adryka disse...

Recordar é muito bom Raquel, mas recordar pode ser doloroso, se era um grande amor...porque foi embora...
o passado é passdo e não pode nem deve passar disso, passado.
Beijos e bom f. de semana

Raquel V. disse...

GRRRR Eu juro que "me vou a vocês e que vos deixo todos negros" GRRRRR E depois vos obrigo a escrever 300 vezes no quadro: o que se escreve pode ser só um exercício de escrita, o que se escreve pode ser só um exercício de escrita, o que se escreve pode ser só um exercício de escrita... ehhehhe

mfc disse...

Já vi que é um exercício de escrita... mas está muito bom.
Na reestruturação dos links post férias coloquei lá um para aqui.
Espero que não te importes .~
Obrigado.

lazuli disse...

o que se escreve pode ser só um exercício de escrita
o que se escreve pode ser só um exercício de escrita
o que se escreve pode ser só um exercício de escrita
o que se escreve pode ser só um exercício de escrita
Ufff...já posso comentar?
*

AS disse...

Querida Raquel,
A vida é isso mesmo. Um intenso carroussel de voltas imprevisíveis...

Um beijo

Rui Miguel Brás disse...

Round and round it goes...
we could know when it ends so well
ze fall on and we fall off
existencial carrossel

gostei

amita disse...

O que se escreve pode ser só um exercício de escrita, mas a beleza da tua é o caminho do sonho em palavras sentidas. Bjinhos

-------------
Quisera não ser tão distraída e que a hora sempre igual não fosse. Bjokas grandes, Raquel, e o meu imenso obrigado.

O Micróbio disse...

Há sempre momentos que vale a pena reviver... :-)

Menina_marota disse...

eu ia comentar, mas... "...o que se escreve pode ser só um exercício de escrita..."...e, essa escrita sai de onde? Do fundo da alma?

Um abraço terno e boa semana :)

Daniel Aladiah disse...

Querida Ana
Passing by... para ver essa fogueira crescer...
Um beijo
Daniel

Mitsou disse...

"O que se escreve pode ser só um exercício de escrita", prontos! Mas pode ser banal ou belo. E sentido é, sempre. Como neste caso, sentidamente belo.
Beijoca a fugir, antes que me batas :)

Anna^ disse...

Mas q belo exercicio de escrita...e eu continuo a vir espreitar os teus tpcs ;)

bjokas e uma boa semana ":o)

João Scottex disse...

Doloroso, porém belo!
bjx

Alexandre Sousa disse...

A escrita é um parto que não admite anestesia.

Eva Lima disse...

É um parto e um prato. Depende da circunstância.
Bjinho grande

Nilson Barcelli disse...

Que coisas lindas que tu escreves Raquel.
Quem dera que fossem para mim... A Frau Gabi nunca me disse palavras tão ternas...
Beijinhos

Angela disse...

Gosto dos teus sonhos e da maneira como os vais espalhando por aqui.

Mitsou disse...

Truz, truz. Já passou o castigo? Toma lá mais um beijinho, este de boa noite :))

Menina_marota disse...

Vim ler-te, mais uma vez. A tua escrita é um bálsamo para mim...

Abraço terno ;)

Adryka disse...

Olá digo só isto e vou fugir;) porra aqui os comntários é só castigos, ainda me apanham a mim dasssssssss. Beijos

H. disse...

Nem sempre o que foi bom é bom de recordar. Por vezes (tantas vezes) é o que dói mais de se lembrar...

Mas, independentemente da dor, consguiste fazer a quem quer que ele/ela seja uma homenagem tocante...

Lindo!

Miguel Nobre disse...

simplesmente lindo

Eclipse disse...

"O que se escreve pode ser só um exercício de escrita"...

mas nesse exerciício podem estar tantos sentimentos...

Beijos

Adryka disse...

Querida Raquel, em relacção ao pedido que deixas-te no meu blog, fui fazer uma pesquisa no blog do tal Pedro, fiquei abismada. Tu já o fizeste...ele é um farsante ja anda com essa conversa desde 2004.
Beijos amiga

amita disse...

Olá Raquel. Vim ler-te antes de começar o que o trabalho exige. Li o apelo que me enviaste por mail e, há bastante tempo, fiz como tu, enviei imensos mails para pessoas amigas. Gerou-se uma grande corrente de solidariedade com esse senhor oferecendo os seus préstimos. Durante uns tempos passava por lá para ver o desenrolar da situação e apercebi-me que algo de errado havia, pois nada aproveitou nessa altura. A opinião com que fiquei (e não fui só eu) foi a mesma que a Adryka mencionou a cima. Há um ditado bem certo" Tantas vezes vai o cântaro à fonte que um dia fica sem asa". Bjinhos Raquel e obrigado pelas informações que me tens enviado.

Nilson Barcelli disse...

Vou encontrar-me com a Frau Gabi na próxima 2ª Feira...
O que me aconselhas?
Inigma: Tróia + Malta
Beijinhos

Menina_marota disse...

Passei para deixar-te um abraço e bom fim de semana :)

Hrrada disse...

Fantástico :)
mua*

Friedrich disse...

Eu vim, depois de ler, fui-me embora saciado pela paixão da leitura que absorvi com paixão...

Bom fim de semana

Beijos

TMara disse...

de vez em qnd passam pelas nosas vidas pessoas cuja função é essa, dar-nos alento e seguir para nos deixarem seguir. Só k no doce aconchego não queremos k ermine. Mas fica algo insubstiuível. Bj largo de f.s.

Paula Raposo disse...

Sem dúvida que é preciso ter-se vivido um grande amor para podermos transformar em palavras o silêncio de o ter perdido. Quem alguma vez amou, sabe do que estamos falando. Beijinhos