agosto 08, 2005

Obituário de um ser

Hoje este espaço é meu e não desejo caracteres.
Hoje não existem amanhãs.
Pensarei melhor. Depois. Ou talvez não.



Os amanhãs são dos que passam
pelos outros tornando-os transparentes.
Invalidando-os.
Os amanhãs são daqueles que nada valem,
desses que facilmente atraiçoam,
que preferem assassinar ideais, almas.
Os amanhãs são dos donos das verdades.
Os amanhãs são dos que caminham
fingindo-se de humanos.

2 comentários:

Menina_marota disse...

Não deixes que os amanhãs te atraiçoem,
busca o momento certo para te libertares
para fazeres da vida
um momento mágico
sem dor, onde as verdades
acalentem a nossa alma...

Oa teus amanhãs ainda podem ser
mágicos...

Um abraço terno :)

Rui Miguel Brás disse...

Gostei muito.