abril 30, 2005

Imobilidade

Deixa-me chorar... Provar que a dor que sinto é tão genuína como a tua... Que não sou fria, que se te viro a cara e pareço apática é apenas fingimento. Ou gritar que observo o horizonte e não vejo estradas para percorrer. Deixa que as minhas lágrimas escorram pela única face que reconhecerei como sendo a minha enquanto ainda vais a tempo de perceber que sou humana. Que estou cansada de imitar outras vidas, de fazer de conta que esta sou eu, quando afinal me sinto tão perdida. Tão jovem ainda mas tão envelhecida.



....
Encolho-me num canto da sala, a cabeça entre os joelhos... Oiço o vento lá fora. É de noite e sinto medo. Sinto-me tão desesperadamente frágil no canto escuro de uma sala que desconheço... Inventada para mim e por mim. A pouca luz da lua entra sem pedir licença mas nem me toca, tão escuro é o canto em que me encolho...

21 comentários:

AS disse...

É sempre tão vazia a imobilidade
É sempre tão vago o isolamento
Mas tu és corola de flor em movimento
Que procura o jardim da imensidade!...

Um beijo

Raquel V. disse...

Lindo... Obrigada

Um beijo

Mitsou disse...

Amiga, espero que seja um desabafo literário. Não quero ver-te assim, pronto! Andei caladita, hoje, porque estive a trabalhar e também tive de sair. Beijão grande de boa noite e até amanhã :)*

Raquel V. disse...

Isso mesmo Mi... um desabafo literário... uma catarse... "o diabo a sete"...

Velhos textos "remixed" com novos... Uma forma de fugir ao tédio de alguns momentos demasiado calmos para quem precisa de ter a mente sempre ocupada.

E um treino para algo... só não sei bem o quê... A ver vamos...

Beijinhos grandes

jotakapa disse...

Esse tipo de imobilidade de que escreves tem de ser combatida para que não se instale permanentemente.
E depois de passar, que fique na memória a lição de como a sacudir!

Tão só, um pai disse...

... porque não haveria a tua dor tão sentida ser tão ou mais genuina do que a de ... outro alguém? Quem poderia achar que não és humana (humana e bonita).. ah, e como te entendo, isso de sermos tão diferentes por dentro, em relação ao que nos vêm por fora ...

Pois ... as estradas não se avistam do vale ... só dos cumes

Beijinho e abraço chegado de bom dia ... acorda ...

Mitsou disse...

Querida Raquel, obrigada pelo beijinho matinal mas saí cedo e só agora fiz uma pausa no trabalho. A gente vê-se, né? ;)

Mitsou disse...

Bom, afinal não conversámos... :(
Espero que a dor de cabeça tenha passado, linda.
Beijinho de boa noite e até amanhã.

Tão só, um pai disse...

... vai um bom diazinho? Com um beijinho bom? Então, bom dia e um beijinho!

A tragedy in progress disse...

*

Mitsou disse...

Beijinho de boa noite e até amanhã :)*

H. disse...

um beijinho de atenuante de tristeza... *

Raquel V. disse...

jota, tens toda a razão... se nos esquecermos de continuar vamos enferrujando... até nos sentimentos...

E não lost, a minha tristeza não é eterna... obrigada...
Apenas os meus textos serão sempre assim... e se um dia mudarem, então é pq provavelmente n sou eu que aqui escrevo...

Raquel V. disse...

tragedy :))

Raquel V. disse...

"ah, e como te entendo, isso de sermos tão diferentes por dentro, em relação ao que nos vêm por fora"


T,

Será sempre assim... há pessoas que fazem leituras terríveis, há pessoas que nos tentam dizer que somos isto e aquilo e um dia quase acreditamos que assim é...
Nunca voltamos a ser a criança que fomos, nunca temos a certeza...
E um dia apenas escrevemos, apenas deixamos que nos leiam as palavras e o retorno é estranho... carregado de emoções que antes nunca conseguíramos...

Raquel V. disse...

Mi,

:)

IceTeaAddict disse...

Coragem!!!

Eu sei que parece (e é) um cliché, mas sempre ouvi dizer que o momento mais escuro do dia é precisamente antes do sol nascer...

Um beijo de apoio

Ice

Tão só, um pai disse...

... terno beijo de bom dia ... que hoje está mesmo bom para se tirar férias e ser passado algures numa casa junto ao mar, no meio de nenhures ...

Mitsou disse...

Beijinho de bom dia e toca a abrir um sorriso :)

Mitsou disse...

Beijoca grande de boa noite e até amanhã :)*

Raquel V. disse...

Ice, tu e os teus "clichés" tão verdadeiros...

Obrigada...