junho 17, 2008



É tarde, não de tarde mas tarde. O vento assobia e o ar parece ser o que deveria ser sempre… respirável. Mas é mentira. É irrespirável.
Olha em redor e é incapaz de pedir ajuda. Percorre os nomes na agenda do telemóvel ou os contactos de e-mail… e por cada nome que lhe paira na mente, dá-se uma razão precisa para se silenciar. Quem é ele para pedir ajuda? Dizer “preciso de ti”. Que dor misteriosa e desconhecida tem para que alguém olhe para dentro de si?
Ninguém o conhece realmente. Há demasiado tempo que teatraliza cada movimento e quando se esquece da deixa certa, fica no ar a estranheza da sua “não actuação”. E rapidamente volta a fingir.
Também a banalidade tem a coreografia delineada. Talvez se não fosse assim os cérebros implodissem. Todos se metamorfoseiam em médicos que passam pelos doentes sem os ver. Sem um sorriso.
Para ele não há sorrisos porque há muito cegou.
O mundo avança e cada ser humano empurra paredes de cimento arrasando tudo sob os seus pés. Não interessa as flores despedaçadas porque se não empurrarem a parede… terão perdido. Há uma outra parede atrás deles. Imóvel. Se não empurrarem serão esmagados entre paredes. Pela vida.
Ele quase sente a inutilidade de empurrar a parede que lhe pertence. Pesa toneladas. Está sempre a um passo de desistir.
Existe fé, certamente, porque nada mais explica que amanhã acorde e empurre um pouco mais. Calado. Sem pedir ajuda e com uma dor no músculo cardíaco que deixou de nomear. A cada pulsar, sabe que não aprendeu a articular “Ajuda-me”.



18 comentários:

Paulo Tomás Neves disse...

É tarde, não de tarde mas tarde. Tarde porque já foram gastos os minutos e as pessoas. Tarde porque os sentimentos escorreram como areia pelas mãos, e o pó que restou é negro e amargo. É tarde para quem perdeu a capacidade de dar e procura desesperadamente receber, sem saber bem o quê. É tarde para olhar quando se perdeu a capacidade de ver. É tarde... ou talvez não. Porque mesmo um despertar tardio permite aproveitar o resto, talvez com redobrada energia. Só é tarde quando se desiste, para quem luta ainda falta mais um bocadinho, há sempre mais um esforço para dar de si. E é no dar de si que tarde se faz a tempo, e depois é tarde, de tarde e não tarde, um entardecer de mover montanhas.

(Tomasz Stanko Quartet - Little Thing Jesus)

Sónia Pessoa disse...

Olá, por favor vai ver o meu último post, sobre ilustrções, e divulga.

Obrigada e beijocas,

Sónia Pessoa

Sónia Pessoa disse...

Não te tenho "visto", espero que estejas bem...

TMara disse...

Tu sabes, tens k saber, por tudo o vivido.
Mas há mmts em k só quem não sente, não sente k é tarde. K o cansaço pesa e tudo em cada um se verga para a terrra pedindo repouso.
Mas ambas sabemos. E só quem sabe pode falar assim tão bem dizendo, ficcionando sobre...
Bj grande cheio de luz, paz e serenidade

Daniel Aladiah disse...

Querida Ana Raquel
Talvez o único que insiste em utilizar o teu nome... talvez alguém que não sabe pedir ajuda... talvez até isso tenha mudado... mas, com certeza, alguém que te sabe aqui.
Um beijo
Daniel

JMTeles da Silva disse...

Existem efectivamente alguns de nós que são empurra-paredes.
Há que não desistir, Raquelsita.
Bjokas.

A.Mello-Alter disse...

As paredes estão lá, para isso mesmo. Para serrem empurradas todos os dias. São as dificuldades dos nossos dias, que nós acabamos por ir empurrando. Mesmo sem ajuda.
Fica feliz por conseguires aperceber-te delas. Há quem esbarre nelas. e nem se apecebe que elas existem.

Sónia Pessoa disse...

Olá linda,

vai ao meu cantinho DEPRESSA... tenho GRANDES NOVIDADES!

Sónia

ciprita disse...

Que texto lindo, com uma força que ultrapassa as palavras e invade as emoções.Parabéns.

~pi disse...

re conheço...


aprender ainda?





~

Sónia Pessoa disse...

VOLTA RAQUEL!

TMara disse...

e hoje, porque a Raquel faz anos, deixo-lhe o mais doce e amigo xi-coração de parabéns e hoje, nenhum homem ou mulher, no mundo deixará de ligar ou bater na porta do vizinho a pedir ajuda porque todos somos irmãos e um só. O k aflige cada um de nós aflige o outro pq o "outro" somos nós também
Bjs e parabéns e k o ano k ora COMEÇAS seja um ano bem melhor do k o k hoje termina. Bjs amigos.
Muita luz e paz sempre ao teu redor e em teu caminhar

viajante disse...

Vinda do Eremitério, a grata notícia. Aniversário.
Parabéns? Evidentemente.
Mas acima de tudo SAÚDE e PAZ.
E o AMOR, que faz girar o Mundo.

M. disse...

Porque houve espírito santo de orelha, venho bater-te a esta tua outra porta para te entregar os meus parabéns. Tudo de bom para ti.

Fa menor disse...

Vinda do Eremitério, não podia deixar de a vir felicitar.
Parabéns e muitos anos de vida!
Um beijinho

Fa

Paradoxos disse...

Por intermédio do grande amigo Eremitério cheguei... entrei...


Raquel, que Deus continue a criar e a fazer muitos e muitos anos para ti e por ti amiga!!!

beijão do fundo dos meus lábios e coração!!




PARABÉNS!!! :-)


Edu

Paula Raposo disse...

Atrasada um dia, porque não conseguia entrar no teu blog...envio-te um beijo e um abraço de parabéns!! A capa do livro está linda!! Beijos.

Júlia Coutinho disse...

Embora ligeiramente atrasados, aqui ficam os meus parabens!
Um futuro feliz.
beijos