janeiro 05, 2008

















Mais um ano que passou célere,
por vezes com aquele sabor de amêndoa de chocolate
que quando trincada o amargo se mistura com o doce,
porque nem sempre o pressentimos... e qual menino traquinas,
o destino nos vai pregando partidas.

Nasceram crianças. Chorámos e rimos.

Virámos a cara ao telejornal, deitámos no lixo os erros.

Pelos caminhos colhemos flores e vimos mar e vimos neve
e quisemos salvar das trevas das vestes carbonizadas,
os nossos bosque encantados.

Chegámos a casa mais sábios, vivos...
porque mesmo na invasão dos dias não fizemos do alcatrão assassino,
e sim, dos caminhos aprendizagem.

O reflexo que vemos no espelho tem mais estradas delineadas...

Mas com o tempo que passou,
soubemos mais e mais da metamorfose da vida
e da rapidez dos segundos,
e do que tencionamos que não fique por concluir!

9 comentários:

gilbertus disse...

Uma coisa é certa: estou mais velho uma ano, o que não me agrada particularmente devido às expectativas de vida de um porquinho. E sabendo o que sei -que a carne de porco está mais presente à mesa portuguesa que o robalo ou o peixe-espada, todo o cuidado é pouco. É que o pessoal está-se nas tintas se o porco é da India ou de Barrancos...

Bom ano para ti e... Inté!!

luis manuel disse...

"... e do que tencionamos que não fique por concluir! "

Aprendendo nos caminhos, colhendo flores, admirando a força do mar. Chorando e rindo, misturando o amargo e o doce, enfrentando as partidas... do destino.
Aprender com os erros, rápidamente "reciclados" em devido ecoponto.
Dando devido valor ás estradas delineadas que apenas em reflexo damos conta.

Com entusiasmo e pela sabedoria da vida, não deixar ficar para trás a vontade, a determinação.
Em cada ano que se quer Novo. Com novas oportunidades.
Beijinhos

Menina_marota disse...

Um feliz 2008
Deixo o meu abraço, saudosa das tuas palavras ;)

Anónimo disse...

venha participar em www.luso-poemas.net

eremita disse...

que os reflexos que vemos sejam cada vez mais os nossos próprios. Reais e nossos. Não ficcionados. Não criados para que gostem de nós.
Para que nós gostemos de nós e possamos voar por aí.
tens uma nomeação no meu Eremitério.
Fraterno abraço

luis manuel disse...

Não consegui escrever no post acima (provávelmente nem será para isso)...
Mas, "Hi" Raquel
Entre coisas sérias e outras menos sérias, sobejam os valores.
E os doces...

Um abraço

mfc disse...

A vida ensina-nos muito... a questão é que aprendamos o que nos ensina!

Um grande beijo.

The Box disse...

Olá Raquel .
Obrigada pela visita ao meu blog .
Desculpe só responder agora mas isto da preguiça ... :)

Leonor

eremita disse...

de seguida vou conhecer o espaço que divulgas no teu último post. parece bem interessante.entretanto digo-te que tens um desafio no Eremitério.
Fraterno abraço.