julho 03, 2005

Disse-te que a minha vida estava um caos.
O caos à beira da ruptura.
A velha e incómoda frase feita.

Disse-te que não queria a gota a mais num copo cheio de lodo.
Sim. Porque o Medo e o Terror são por demais sombrios para serem límpidos...
O Medo transborda...
Mas Precisava de saber.
Saber até que ponto o presente era falso.


O teatro perfeito. A marioneta divina.
E a cama de casal...
Mudo-lhe os lençóis. São meus.
Ficou a mobília, vieram comigo as frivolidades.
Deixei-lhe a minha vida. Arrastei a dele comigo.
Talvez por isso a aliança se mantenha na carteira, ou a foto...

Na escuridão a verdade toma forma.
E soube. Agora já sei.
E a torneira a pingar.
Gota a gota.
Os canos rompem-se nas ruas...
A cidade inteira enche-se de lodo...
O copo entorna.
O Terror e o Medo dançam,
Vomitam, encharcam as paredes de suor e trevas...
Uma injecção.
Um cateter que foge...
Mais uma tentativa...
Não dói.
Já nada dói.
Qualquer tentativa de dor é mentira.
Deixem-me aqui ficar.
A raiva, a impotência, a ânsia para terminar com tudo.
Uma bebida amarga...
A calma emerge finalmente...


"Telefonei para lhe contar o que se passou..."
"Pensei que fosse para dizeres que gostas de mim..."
"Não, hoje não... Só telefonei para lhe contar o que se passou..."
E o copo transborda... Sente-me chorar...
"Gosto muito de ti."
Ainda bem, penso. Precisava de ouvir isso hoje, de não ter que o dizer. Nunca tive jeito para lho dizer. Fiz de tudo para lho
provar, e hoje, hoje precisava que mo dissesse como no tempo em que menina, o copo ainda só estava a meio.

16 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Ana Raquel
tantas histórias à volta do silêncio dos afectos, que nunca se exteriorizam como queremos, mas que, contudo, existem...
Um beijo
Daniel

AS disse...

Raquel, no turbilhão de tantas emoções, a tua alma sensível emerge de cada palavra!...

UM beijo

Margarida Atheling disse...

Também nunca tive jeito para o dizer. E sempre precisei que mo dissessem!

Beijinhos!

Anna^ disse...

Ouvi-lo da outra boca é sempre muito bom...mas às vezes o olhar supera essa vontade de o dizer...mas eu digo-o...sempre que preciso de o dizer!

Muito "dorido" este texto,mas c uma carga enorme de sentimento.

bjokas e uma boa semana ":o)

Tão só, um pai disse...

Cambada de corações empedernidos. Báh!

Misty disse...

Nunca fui capaz de o dizer antes...e mesmo agora, com esta relação nova...ainda sai assim, envergonhado, meio sem jeito, quase a medo. Mas, já me sai da boca...
E ouvi-lo...ah...ouvi-lo da boca dele!...

Beijinho!

JMTeles da Silva disse...

Arfo só de te ler, Raquelsinha. E ao ritmo que consegues impôr.
Bjocas.

Raquel V. disse...

interrupção na regra de não me comentar comentado os outros... heheheh....


LOL
ARFO!? :D Eu é que arfo! Com os teus comentários! Tu não me metas em trapalhadas... isto é um blog sério, rapaz :))

Lana disse...

Às vezes precisamos de ouvir um simples "gosto de ti"....e...impossivel n reparar no comment do arfar LOL :|

concha disse...

Bem Raquel...isto hoje...luva!
Beijinhos para ti

Å®t_Øf_£övë disse...

Ana,
A dor é inevitável... mas o sofrimento é opcional!!
Boa semana.
Bjs.

bertus disse...

...eu fiquei com a ideia que tu "estás na maior" mas queres testar o pessoal e vai daí...pimba!,

chovem
confissões dramáticas
lágrimas
que não param de jorrar
verbos
que não vejo nas gramáticas
corações
em vias de se quebrar.
Tudo isto e muito mais,
há-de vir amanhã nos jornais!

Gosto mais de ler o teu blog que ouvir o Telejornal das 20...

Raquel V. disse...

Ai... lá estou estou eu... e quem pensar que tenho preferidos apanha hehehehehehehehh. Já sabem é que uns vai por mail e outros por blog e outros IRRA faz sentido responder aqui porque é uma resposta a todos.

SIM, parte de mim está na maior. Parte de mim está igual a vocês todos... é os sim e os não e os mais ou menos e os dramas e alegrias que TODOS nas suas vidas têm...

Só que... moi, mesmo com um compartimento da alma na maior e outros assim meio bambos, tem trezentas e cinquenta e mil e uma coisas "na gaveta"... e quero deixá-las por aqui, senão, sim... digam-me, como faço o backup?
Umas inventadas, outras tiradas da vida real, outras... que são outras... ;)

E se gosto de rir à gargalhada... também tenho esta mania de debitar palavrinha chorona... como a vida faz connosco. Panadinha hoje ou palmadinha no ombro amanhã...


VIVA VOCÊS


estou a ficar uma emotiva com os "MEUS" comentadores... ora não querem lá ver isto :)))

Adryka disse...

Lindo texto romantico quanto baste adorei. Beijinhos

agua_quente disse...

Olha, já não sei o que comente: o teu texto, o "arfar", ou o Bertus que é um sabichão nestas matérias e apanha-nos num instante.
Mas o teu texto é que conta que é para isso que escrevemos. Sabes que tu consegues pôr nas palavras que aqui ficam algo que remexe sempre com algum sentimento meu, passsado ou presente. Para além do bem-escrever, existe essa capacidade de identificação e... olha é sempre um gosto ler-te. Nem que seja um gosto amargo.
Beijos

H. disse...

Escuro e transparente é o teu post como o mais fundo da alma humana. É forte. Muito. Mas eu gostei! *

Ah... e...
Gosto mto de ti Raquel! :)