junho 20, 2005

Sussurros...


Em determinados momentos creio que irei ceder.
Escolher um dos portões que me são sussurrados pelos seres alados que emergem das profundezas da terra...
E a terrível vontade de ceder permite-me observá-los demoradamente.
Medir forças com o que sei estar do outro lado.
Tentar compreender até que ponto as órbitas negras desses seres podem ser lidas. Esperam por mim há demasiado tempo, com a quietude enfurecida que emana de todos as criaturas que não desistem dos seus intentos.
Quantas vezes, num só dia, me atraem até passagens secretas segredando-me que Deus as colocou ali somente para mim. Falseando os dados. Enlouquecendo-me de dor. Sacrificando os seus temíveis espectros a outras vestes, aos sorrisos dos que amei, às palavras dos que nunca esqueci, aos doces momentos do passado e da infância. Para que finalmente as oiça e anseie pelos seus portões... Portões que simulam caminhos que não existem.
Tantos sonhos extraordinários que me arrebatam...

No fim do dia aceno violentamente "não!"
Como me odeio! Como seria tão mais fácil!

No dia seguinte recomeçará tudo de novo, uma montanha russa de emoções que me fará atingir picos insanos de tudo e de nada. De novo as portas, os caminhos, os precipícios forjados apenas para me iludir. Vozes doces ao ouvido. Seguidos de momentos em que sairei de mim e alcançarei, sem precisar de evasões ilusórias, segundos precisos de paz. E nesses instantes, valho mais a pena. A minha coragem soa de uma outra forma. As minhas lágrimas fazem sentido e os meus sorrisos ganham a força dos antepassados. Dos mortos, dos vivos, e até dos que estão por nascer.




Imagens "Getty Images" manipuladas por mim.

21 comentários:

Tão só, um pai disse...

Os pesadelos não gostam dos sonhos. E há pequenos sonhos que não o são. Só porque estamos acordados. E gostamos de nós, nesses pequenos momentos.
Beijinho, com um sorriso de bom dia.

Mitsou disse...

Belíssimo texto, Raquel! Parabéns, linda. Beijinhos matinais, muitos :))

JMTeles da Silva disse...

NÃO CEDAS!

Wakewinha disse...

A verdadeira força e a verdadeira coragem de uma mulher está na sua capacidade de não ceder... nunca! Por mais que a tentação seja muita!

Gostei da intensidade das tuas palavras.

Beijinhos homónimos.
*R.

Tão só, um pai disse...

... Podes e deves ceder ao que é bom, á ternura e aos momentos de paz em que te reencontras.
E agora, quem ganha? o "Não Cedo" ou o "Cedo, mas com restrições"?

bertus disse...

...isto é quase um texto épico!
Que força de vontade! que indómita coragem! que até já "obrigaste" um comentarista a exclamar: "NÃO CEDAS!!".

Não te direi tal, poistáclaro! Apenas que estás a escrever mais da boca pra fora, com sentimento! parabéns.

Boa semana e beijinhos!

Eva Lima disse...

Não me apetece "filosofar", por isso:
gostei.

Boa tarde, boa semana


um grande beijinho

Angela disse...

Esses momentos breves de paz vão ser capazes de derrubar todos os outros. :) Lindas palavras.

AS disse...

Raquel, este texto tão intimista, náo vou comentá-lo. Apenas te digo que a vida é feita de chamamentos e de recusas. confio que sempre saberás tomar as melhores opções...

um beijo

agua_quente disse...

De facto, o texto acaba num tom quase épico convocando os antepassados e até os que estão por nascer. Pesadelos ou sonhos, imaginação ou literatura, o teu texto está muito bem escrito e agarra-nos naquela indecisão... será??
Beijos

BABA E RANHO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
concha disse...

"No dia seguinte recomeçará tudo de novo, uma montanha russa de emoções que me fará atingir picos insanos de tudo e de nada."
Por ora aguardo que me cheguem os de paz.

Tão só, um pai disse...

Sorrio. Hoje estou do contra. Não cedas.
Beijinho de bom dia.

amie disse...

também estou aqui com o pai, não cedas!:)

Mitsou disse...

Beijinhos matinais (atrasados, eu sei) e mais um NÃO CEDAS! Sorrisos, muitos :)

João Mãos de Tesoura disse...

Nunca cedas! Esquece as vozes e olha em frente! Afinal, quem escreve assim tem de saber que tudo isto é um privilégio!
Beijos amigos

jotakapa disse...

Esses segundos de paz são bem importantes. É neles que se desenha a decisão de "ceder", ou pelo menoa a quê (ou quem) "cedemos"...

Fernando B. disse...

Para não repetir o que os meus antecessores disseram, escolhi o comentário da Rakel para o subscrever.

Beijocas,

Daniel Aladiah disse...

Querida Ana Raquel
Ceder à tentação terá o valor que a nossa consciência lhe atribuir, ou seja isso em si será relativo, o problema poderá estar no relacionamento com o absoluto.
Um beijo
Daniel

Lana disse...

para já gostei da manipulação k fizeste com as imagens e quanto ao texto..às vezes torna-se quase impossivel n ceder...principalmente a certos "sussurros" =)

Ricardo Leal disse...

O texto está lindo.

Ceder ou não, só depende de ti...