maio 24, 2005

Queria dar
a volta ao mundo
pela tua mão

Mas sei que baixas o olhar para que não te leia os pensamentos, para que não adivinhe o que forjas para fugires ao vazio, que já tiveste a tua volta ao mundo e deste por encerrados os teus sonhos. Desejas-me apenas para passear pela beira-mar. À margem da tua dor, como se possível fosse eu não reparar nela.

Sem a nossa volta ao mundo, anulo-me, enterrando-me devagar na areia molhada - apenas eu - observando as ondas que chegam de mansinho. Sinto um frio que me acalma.
Que me arrasta a mente para os meus primeiros passos pela vida, pelas mãos de gigantes que me amaram desde o princípio dos tempos. Memórias sem mágoa.

E ao cair da noite ainda permaneço muda de encantamento e solidão, acompanhando com o olhar a maré que sobe devagar. Tentando entender-te.
E ali vens tu, com a tua passada larga, a sombra do homem que um dia foste, o recorte do menino que ainda poderias vir a ser, tentando encaixar-me no teu universo mas sem saberes como
.

11 comentários:

concha disse...

Texto perturbador, Raquel.
Muito forte.
Ninguém, seja por que motivo for, se pode privar da vida. Ninguém pode ser uma sombra de si.
Devia ser de cumprimento obrigatório!
Beijinhos para ti

Tão só, um pai disse...

... que aquela sombra te sorria, te abrace, te dê a mão e acompanhe, no coração, em cada dia. Depois, aproveita a maré, devagarinho.

JMTeles da Silva disse...

Raquel, por que te rodeias de imagens de homens desconstruídos, que se desfazem no tempo deixando de ser o que eram? Traumasito? Olha que nem todos são assim! :)
Bjinhos

Mitsou disse...

Belíssimo, Raquel. Mas triste. É sempre a tristeza que inspira os melhores textos. Esperemos, porém, que essa tristeza se deixe ficar pelas palavras escritas cedendo o lugar à esperança que nos abre um sorriso no rosto. Beijinhos muitos, minha querida!

P.S. Venceste a "preguiça" :)) Boa!

Eva Lima disse...

Raquel,
porque te deixas arrastar por essa tristeza traiçoeira?
Tenta dar-lhe um "cuxuto" como dizia um dos meus piolhos...
njinho de alento

Raquel V. disse...

Concha,
Por vezes a vida "gira" mais rápido que nós... Beijinhos


T,
quem sabe um dia... *


JM,
Já estamos cumbersados num dá na tola num "off the record" :D
jokas


Mi,
:)))

P.S. a trabalheira em que me meteste...lol! :*


Eva,
cuxutoooo... lol
:))) :*

agua_quente disse...

Gostei muito do teu texto. Mas alguém que deu por encerrados os sonhos, tem que sair dessa por si próprio e bão me parece que anulares-te ajude. Digo eu, claro...:) Beijos

AS disse...

Raquel, no teu jardim resta ainda tanta flor, que podes desfolhar sem lágrimas na voz!...

Um beijo

H. disse...

Escreves pessoalmente, e é de forma pessoal que te leio e entendo as tuas palavras, elas tomam forma em mim, no meu pequeno universo, onde também anseio por quem baixa o olhar quando tudo o que quero é ver o mundo a quatro mãos...

*

Raquel V. disse...

Água_quente,
Obrigada... e sim... tens qs razão... Beijos



Frog,
talvez...
Beijo

Raquel V. disse...

Lost,
embora tudo o que digo num post mais acima se mantenha... sem dúvida muito do que escrevo será mais que "mera" forma de ver o mundo... e entre o que observamos, sentimos ou até não vivemos, vamos compondo as nossas personagens.
Já as vimos num amigo, numa pessoa da família, já as vimos no espelho ou até numa notícia de jornal.
São parte da nossa vida.
*